31 de janeiro de 2019

do momento sem título


a vida pulsa e o tempo corre.
em mim algo pulsa e eu corro com o tempo.
arranjo de momentos e flores que passam, que murcham, que secam no seco do cotidiano.
em mim, ficam os calos da corrida que não pulsam, mas latejam.
memória é este calo que pode murchar e secar.
ou não.
em mim, ficam; enrijecidos, ásperos.
eu fico áspera no correr da vida.

28 de maio de 2018

o cárcere que é a fotografia


olhar furtivo
capturado em flagrante;
e, agora,
eternizado em matéria
a partir do registro
daquele milésimo de instante.

no abrigo da esguelha,
foi descoberto;
e antes que pudesse fugir
veio o clique,
que é disparo,
foi um tiro
a paralizá-lo.

16 de março de 2018

Latejante



é sombra
foi pele
escura
pelas ruas
negras

pela pele negra a rua é sombra
foi-se
pela foice
um corte
levou um membro
que agora, invisível,
lateja

e como dói!
de dia
e de noite
outros tantos membros
todos invisíveis;
está claro que o escuro sofre extermínio
outros tantos
inteiros
enquanto, no presente, invisibilizados
no passado, açoitados
a mesma história n'outra história
o aniquilamento
e o lamento




em memória à Marielle Franco e Anderson Pedro,
a luta continua.

Pesquisar este blog