18 de dezembro de 2016

Se eu fosse o que eu sou


Se eu fosse uma flor, o que você faria de mim? Me deixaria no mesmo canteiro no qual me encontrou ou me arrancaria para qualquer coisa que te parecesse melhor? No canteiro eu tenho conforto, e conforto é um perigo! E eu vejo os dias indo e vindo, e vindo e indo e eu aqui vendo os dias no conforto do canteiro. Também nunca criei raíz em terra nenhuma, assim vou sustentando o meu discurso de que não pertenço a lugar nenhum. E isso tudo é só pra omitir a vontade que eu tenho de ser agradável o suficiente para que me coloquem em qualquer outro lugar que não seja num canteiro. Pode até ser nas tuas mãos, eu até criaria raízes em teus dedos, alcançando também as tuas veias. Mas se for pra me arrancar quebrando o meu talo e se for pra me deixar murchando dentro ou não de um jarro d'água pra depois me descartar como aquela decoração que já nem serve pra decoração, é melhor que não me arranque. Prefiro ter meu fim naturalmente, dançando ao ritimo do vento, do que este fim efêmero que toda flor de buquê tem. Mas ainda volto atrás no que eu disse, só pra exigir alguma ação de ti. Pode até me arrancar pelo talo, pois conforto é um perigo!

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Lindo é o seu olhar para as coisas, Lari ❤

      Excluir
  2. Você é o que é, isso é definitivo. Porque o futuro não há sem que você veja, por isso todos os questionamentos e isso é crescimento, a inteligência por detrás do mito. Se realmente um dia, você uma flor; estaria em todas as casas e ruas, na imensidão da poesia das luas, porque você gosta disso. de iluminar.
    Saudações!
    Boas festas e alegrias, porque o mundo vai se abrir para as tuas sementes, se você quiser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar das muitas tentativas eu nunca soube me definir, mas tu me dá definições tão belas que eu (lisonjeada) acabo por tomá-las para mim.
      Saudações, caro amigo.
      Boas festas para ti também! ah, e minhas sementes estão por conta do vento e das abelhas...

      Excluir
  3. Encantada com as palavras! Liberdade frágil e sempre ameaçada ser flor.
    Obrigada, moça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É estranho porque às vezes parece prisão... não sei.

      Excluir

Pesquisar este blog