15 de julho de 2016

O quadro


Passaram por ali tantas vidas, tantas histórias. E o quadro, quase sempre na mesma posição, só observando. E ninguém percebeu o quanto ele viu ou quantas cenas tolerou. Me indago, ao encará-lo, se ele sabe que eu percebi.

10 comentários:

  1. As impressões nem sempre são digitais, se forem é tecnologia espiritual. Mas essas impressões que tenho dos teus textos, sejam poéticos ou não, chegam dos teus dedos, e as vezes como agora, me agradaria beijar tuas mãos.
    E sobre as mechas e teus cabelos, penso que nada é mais belo, de quando de ti, tu mesma fala e comenta.
    Isso é como te respirar e ficar sem aaarrhhh!
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minhas mãos foram beijadas por tuas palavras, obrigada pelo carinho.
      A beleza está em teus olhos capazes de contemplar as minhas ínfimas palavras.

      Excluir
  2. Somente a relatividade é absoluta.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Absolutamente, o que vem a ser relativo?

      Excluir
  3. Tintas aprimoradas com os dons de transmutar sentimentos em imagens sempre causam e nos tem algo a gritar! Pleno. Gosto de pessoas visuais, que notam tudo ao seu redor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se percebo tudo, mas uns bons bocados não me fogem aos olhos.
      Muito obrigada pela sua visita.

      Excluir
  4. E a gente que tem mania de poesia percebe tanta coisa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, não somente as percebemos como também vemos bem os seus detalhes mais singulares e aquilo que há de mais intrínseco no objeto... Penso que a poesia nos é como outros olhos.

      Excluir
  5. Caralho, seu blog é muito foda <3

    ✦ ✧ http://bruna-morgan.blogspot.com ✧ ✦

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog