2 de março de 2015

Moda feminina: Terninho Chanel


Não sei se pararam pra analisar, mas antigamente as mulheres só podiam usar vestidos, enquanto os homens eram restritos a vestimentas com calça e camisas. Era uma divisão de gênero muito forte, onde as mulheres eram os seres submissos e altamente dependentes dos homens, e qualquer desvio dessa visão da antiga sociedade era motivo para ser condenado moralmente.
Eis que surge (minha linda) Coco Chanel e outras grandes personalidades daquele tempo, que ousam invadir o guarda-roupas masculino e trazer o conforto de algumas peças para o guarda-roupas feminino. Eu poderia fazer um enooorme texto relatando o quanto Chanel contribuiu para o mundo, indo além da moda, mas deixarei isso para a resenha do seu filme biográfico (que inclusive super indico).
Mas é melhor nos focarmos na história do Terninho.


Como já disse, houve um tempo em que as mulheres usavam somente vestidos , tais esses possuíam uma ornamentação exagerada (pelo menos a maioria), acompanhado do desconforto dos espartilhos. Chanel sempre foi uma espécie de contraste na sociedade em que vivia. Primeiro por ser magra (já que naquele tempo o ideal de corpo bonito eram as gordinhas, famosas roliças), segundo por se negar a usar os indispensáveis espartilhos, terceiro por usar vestido cujo modelo lembrava um pouco o vestuário masculino, e por muuuuuitas outras causas.
Por vir de classe relativamente baixa,  Chanel sabia costurar extremante bem, assim construía peças ao seu gosto e é dessa maneira que surge o tailleur.


O tailleur consiste numa adaptação do paletó masculino. Para se adequar às mulheres, ele era composto por saia, camisa de baixo e uma versão curta do paletó usual. Desta designação é que surge também o terninho, que é um pouco mais longo (que o paletó feminino) e pode ser usado com as mais variáveis peças (e não necessariamente saias).


Essa adaptação do vestuário masculino é subdividido em vários grupos, como blazer, casaco, etc. Mas no fundo é tudo terninho mesmo haha'




O bom dessas peças é que elas servem pra qualquer estilo. Desde os mais sofisticados até os mais despojados.


E o que mais me encanta nessas peças não é nem tanto sua versatilidade, mas sim o que representou, sua história.




É, depois que conheci a história da Chanel, o mundo da moda teve outros olhos pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog