20 de fevereiro de 2014

Aurora, a bela está adormecida



Perdida em seu sono,
em um encontro com a morte,
descansa a bela adormecida,
que em vida tentava ser forte.

Desistiu. Desistiu de tentar.
O mundo fora cruel com ela
e a coitada não pôde suportar...
Ninguém pode culpá-la.

Sua pele já está gélida.
Seu corpo, solto ao chão.
E sua face pálida
não demonstra expressão.

Diferente da dos contos,
ela não morreu por maldizer,
mas por internos confrontos
que ocorriam em seu ser.

Não foi persuadida
a espetar o dedo numa roca,
ela mesma se matou,
pois a vida não parecia recíproca.

Uma overdose de remédios.
A repreensão da sociedade.
A bela está adormecida
no ápice de sua mocidade.

4 comentários:

  1. Acho que a história da Bela Adormecida ficaria mais legal se fosse assim :3 me julguem >-< muahahaha achei linda e tipo "o outro conto da bela adormecida" u.u tenso kkk
    gamei u.u

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, eu concordo contigo haha' a história seria bem melhor se fosse assim >-<
      Que bom que gostou, lindona!

      Excluir
  2. ''Sou tão jovem para ser tão triste'' A tristeza não tem idade, sabe. Gostei muito da sua poesia, palavras bem colocadas e o uso da bela adormecida com a juventude deu um toque a mais de beleza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a tristeza não tem idade, e o pior, não pode ser simplesmente uma fase...
      Obrigada flor *-*

      Excluir

Pesquisar este blog