17 de abril de 2013

Resenha: Marley e Eu


 Heeey! Esta é a primeira resenha que vou fazer no blog, por isso decidi fazer com um livro bastante conhecido. Marley e Eu. Como todo mundo sabe, Marley e Eu é um livro que conta a história de John Grogan e seu incontrolável labrador, Marley. É um livro amado por muita gente, mas sinceramente, eu espera mais do livro.


 É um bom livro sim, me fez dar mais valor à Miau (minha gata) e à Hanna (minha cachorra), e também à vida. Aprendi muitas coisas com o Marley e também com o John, mas eu esperava "sentir" o livro (se é que isto é possível). O John detalhou bastante como era o Marley, como eram as trapalhadas que o Marley fazia, como ele regia diante daquelas situações, mas acabou faltando espaço para o sentimento. É tanto que só no fim ele falou o que sentia pelo Marley e mesmo assim falou pouco. Eu achei que fosse chorar um mar no fim do livro, mas não chorei muito (pois é eu chorei). Teve um pequeno texto no fim do livro que me chamou muita atenção e resolvi postá-lo aqui.

Seria possível que um cachorro (qualquer cachorro, mas principalmente um absolutamente incontrolável e maluco como o nosso) pudesse mostrar aos seres humanos o que realmente importava na vida? eu acreditava que sim. Lealdade. Coragem. Devoção. Simplicidade. Alegria. E também as coisas que não tinham importância. Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas de grife. Um pedaço de madeira encontrado na praia serve. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Um cão não se importa se você é rico ou pobre, educado ou analfabeto, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele. É realmente muito simples, mas mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não.

E estas são as palavras do John.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog